Categorias:

Anti-mülleriano: como está sua reserva ovariana?

O hormônio anti-mülleriano pode indicar como está sua reserva ovariana, já que a quantidade e a qualidade dos óvulos diminuem com a idade

Mulher teste anti-mulleriano

Adiar a maternidade é sempre um risco para as mulheres, já que a quantidade e a qualidade de óvulos diminuem progressivamente com o passar dos anos, principalmente após os 35 anos. No entanto, a fertilidade varia entre as mulheres. Quem não conhece alguém que engravidou rapidamente após os 40 anos? Por outro lado, há mulheres que entram na menopausa antes mesmo dos 40 anos.

Ainda não existe um teste que permita a previsão da menopausa ou mesmo as chances de gravidez. Porém, alguns exames conseguem avaliar a reserva ovariana. Entre eles, o hormônio anti-mülleriano (AMH) é um dos mais confiáveis.

O que é o exame anti-mülleriano?


O hormônio anti-mülleriano é uma substância produzida nos ovários, responsável por controlar o desenvolvimento dos folículos. Então, pela sua ação, serve como marcador da reserva ovariana. O teste é feito pela análise de uma amostra de sangue e pode ser realizado a qualquer momento do ciclo menstrual. Não é feito no SUS e geralmente não é coberto pelos convênios.

Em termos gerais, quanto menor for a dosagem, menor a reserva de óvulos. E quanto mais alto for o seu valor, maior a reserva ovariana da mulher, ou seja, maior o número de óvulos restantes. Valores entre 1,0 e 3,0 ng/mL são considerados normais e, abaixo e 1,0 ng/mL, indicam baixa reserva ovariana.

Vale ressaltar que os valores referenciais podem mudar de laboratório para laboratório e que apenas um médico, de preferência especialista em Reprodução Humana, pode interpretar com precisão o exame.

Por que o exame anti-mülleriano é importante para a FIV?


O hormônio anti-mülleriano é essencial para calcular a dosagem das medicações necessárias para a indução da ovulação nos tratamentos de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV). Valores muito baixos precisam de uma maior estimulação e valores muito altos (acima 3,0 ng/mL) pedem cautela para evitar a Síndrome do Hiperestímulo Ovariano.

Veja aqui mais sobre métodos de reprodução humana.

Uma reserva baixa significa que não vou conseguir engravidar?


Não necessariamente. Assim como outras áreas da medicina, a Reprodução Humana não é uma ciência exata. O resultado do exame anti-mülleriano é apenas um número que não define se a mulher é capaz ou não de engravidar, já que são muitos os fatores para que ocorra uma gestação.

© 2020 Dr Gabriel Monteiro. Todos os direitos reservados.
WhatsApp chat