Categorias:

Gestantes: é hora de tomar a vacina contra o H1N1

A vacina contra o H1N1 é considerada segura tanto para a gestante quanto para o feto e é recomendada em qualquer fase da gestação

Fonte: Jannoon028 - Freepik.com

Fonte: Jannoon028 – Freepik.com

Popularmente conhecida como gripe, a influenza é uma doença viral bastante comum, principalmente nos meses mais frios do ano, e na maioria das vezes não traz complicações sérias, além do incômodo dos sintomas como febre, calafrios, dor de cabeça e no corpo, tosse, dor de garganta e coriza.

No entanto, existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. Os tipos A e B são responsáveis pelas epidemias sazonais – e o vírus influenza A, em especial, é altamente variável e está associado às epidemias mais graves que evoluem para hospitalização e até morte. Os subtipos A(H1N1) e A(H3N2) circulam atualmente em humanos e a vacinação é a forma mais importante de proteção. Já o tipo C causa problemas respiratórios brandos e, como não têm impacto na saúde pública, não compõe a vacina sazonal contra influenza.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 1.982 pessoas morreram por H1N1 em 2016. A região sudeste foi a mais afetada, com 56,5% dos casos, sendo que São Paulo foi o estado com mais mortes. Por isso, é importante tomar anualmente a vacina contra a gripe, que inclui a imunização ao vírus H1N1.

Gestantes X Vacina Influenza


Durante a gravidez e no puerpério (até 42 dias após o parto), o sistema imunológico está comprometido pelas alterações que ocorrem na gestação e a gripe pode evoluir para formas clínicas graves, principalmente no terceiro trimestre.

A vacina contra a gripe é considerada segura tanto para a gestante quanto para o feto e é recomendada em qualquer fase da gestação – alguns médicos, no entanto, preferem indicar a imunização após a 12a semana, então converse com o seu obstetra antes. Estudos mostram que gravidas imunizadas não só afastam os riscos de complicações durante a gestação como também protegem o bebê mesmo depois do nascimento. De acordo com uma pesquisa americana, tomar a vacina durante a gravidez diminui em até 70% os riscos de infecções pelo vírus da gripe durante os primeiros seis meses de vida.

A vacina é feita com o vírus morto e raramente causa efeitos colaterais, somente o local poderá ficar um pouco dolorido e avermelhado e algumas pessoas têm um pouco de febre.

As gestantes podem tomar a vacina na rede privada ou gratuitamente na rede pública de saúde – não precisa comprovação de gestação, somente as puérperas devem levar a certidão de nascimento do recém-nascido, cartão gestante ou documento do hospital.

© 2018 Dr Gabriel Monteiro. Todos os direitos reservados.